Terapia Floral

A visão do Dr. Bach sobre saúde e doença difere muito dos conceitos da medicina oficial de sua época. Ao verificarmos o conceito atual de medicina psicossomática, veremos alguns pontos em comum.

O Dr. Franz Alexander reconheceu que um determinado número de doenças da pele, asma, úlceras estomacais e colite, parece ter causas emocionais. O Dr. Hans Seyler começou um trabalho pioneiro nos anos 30 sobre “estresse”. Na década de 50 os doutores Meyer Friedman e Raymond Rosenman, descobriram que as pessoas mais propensas a doenças do coração tinham comportamento do tipo A, impaciente e hostil, ao contrário das pessoas que tinham personalidade do tipo B, com um estilo mais folgado e condescendente. Nos anos 80 surge uma nova pesquisa médica chamada psiconeuroimunologia (PNI), eu documenta a capacidade da mente em agir, basicamente através do sistema nervoso, para alterar a fisiologia do sistema imunológico humano. Estudos têm mostrado conexão direta entre o sistema nervoso e a glândula timo, que produz células T, que incentivam a vitalidade imunológica.

Bach colocava que “a razão principal do fracasso da medicina moderna está no fato de ela se ocupar dos efeitos e não das causas”.

O que conhecemos como doença é o derradeiro efeito produzido no corpo, o produto final de forças profundas desde há muito em atividade e, mesmo quando o tratamento material sozinho parece bem sucedido, ele não passa de um paliativo, a menos que a causa real seja suprimida.

Em essência, a doença é o resultado do conflito entre a Alma e a Mente, e ela jamais será erradicada exceto por meio de esforços mentais e espirituais. Tais esforços, se dirigidos com entendimento e propriedade, podem curar e prevenir a doença, removendo os fatores básicos que são suas causas primeiras. Nenhum esforço que se destine apenas ao corpo pode fazer mais que reparar superficialmente um dano, e nisso não há nenhuma cura, visto que a causa ainda continua em atividade e pode, a qualquer momento, manifestar novamente sua presença, assumindo outro aspecto. Exemplo é o caso de um paciente que veio a saber por si mesmo, ou que foi alertado por um médico sensato, da natureza das forças mentais e espirituais adversas em atividade, cujo efeito precipita o que chamamos de doença no corpo físico. Se este paciente se esforça continuamente para neutralizar essas forças, a saúde é recuperada tão logo ele obtenha êxito em sua tentativa e, quando o processo estiver concluído, a doença desaparecerá. Essa é a cura verdadeira, e ela se deve ao fato de se ter atacado a praça forte, o fundamento real do sofrimento.

Bach compreendia a doença a partir de alguns princípios fundamentais:

1)     O homem possui uma Alma que é seu eu real, que habita dentro e ao redor dele, sendo uma centelha de Deus, sendo deste modo, invencível e imortal.

2)     O homem veio a este mundo com o propósito de obter todo conhecimento e toda experiência que podem ser adquiridos ao longo de sua existência.

3)     O homem tem nessa vida uma curta passagem , um breve instante no curso da vida.

4)     Quando a Alma e Personalidade  estão em harmonia, tudo é paz e alegria, felicidade e saúde. O conflito acontece quando a Personalidade é atraída para fora da senda da Alma.

5)     O Criador de tudo que existe é o Amor, e tudo de que se tem consciência é a manifestação desse Amor, seja ele uma gota de orvalho ou um planeta.

Assim há dois grandes erros: o primeiro é fracassar em honra e obedecer aos ditames de nossa Alma; o segundo é agir contra a Unidade[9].

Para compreender a doença, seu objetivo, sua natureza e sua cura, precisamos em parte compreender a razão de nosso ser e as leis de nosso Criador em relação a nós.

Todos estamos aprendendo um lição que não é necessariamente a mesma para todos. Um está dominando o orgulho; outro o medo; outro o ódio e assim por diante, mas o fator essencial para a saúde é que aprendamos a lição.

A doença é o resultado de um conflito que surge quando a personalidade se recusa a obedecer os ditames da alma e há desarmonia entre o Eu Espiritual ou Superior e a personalidade inferior, que é como nos conhecemos.

A ninguém é dado mais do que pode realizar e a ninguém é pedido mais do que está dentro do nosso poder.

A doença serve para nos fazer parar de praticar ações erradas; é o método mais eficaz para harmonizar nossa personalidade com nossa alma.

Dentro de uma psicodinâmica entende-se que o propósito da vida é passar por todos os ciclos com percepção cada vez maior, vivendo-os integralmente, de sorte que, no curso da vida, possa realizar-se todo potencial do Eu Superior. Tudo o que venha a favorecer o processo de realização consciente é considerado positivo. Tudo o que escurece a consciência é negativo e, mais cedo ou mais tarde, redundará em doença. A saída-chave desse enfoque psicodinâmico é visar conscientemente a uma mudança construtiva e aceitá-la.

O princípio de cura do Dr. Bach é: Não lutar contra a doença mas superá-la.

A saúde não é, portanto, a ausência de doença, mas a capacidade de enfrentar, transformar e compreender a mensagem da doença.

Nascemos da necessidade da integração entre o corpo, mente e emoção, através das diversas terapias holísticas existentes.